Bom Jesus News-O Portal de Notícias de Bom Jesus-PI e Região

Notícias Mundo

Avanço da imunização em Israel traz sensação de 'vida normal'

"É uma sensação de normalidade"

Avanço da imunização em Israel traz sensação de 'vida normal'
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A médica brasileira Adriana Giglio já sabe qual a primeira coisa que fará quando o aeroporto de Tel-Aviv reabrir: comprar uma passagem para o Brasil, para visitar a família que não vê há um ano e meio. "Quero ver meu pai, meu cachorro, meus amigos. A gente que mora fora sempre sabe quando vai voltar, quando alguém vem visitar. É normal marcar uma passagem para alguns meses, mas a pandemia impediu isso", conta. "Prometi que assim que tomasse a vacina, eu iria. Agora, estou esperando o aeroporto abrir."

Desde dezembro, Israel já vacinou cerca 5,2 milhões de um total de 9 milhões de habitantes. À medida que a vacinação acelerou, o país deu o maior passo de sua reabertura, no início de março, e agora se prepara para a quarta disputa eleitoral em menos de dois anos.

Comer dentro e fora de restaurantes - para quem tem o "passaporte verde" da imunização - agora é de novo uma realidade, assim como visitas a hotéis e centros de eventos. Reuniões de mais de 20 pessoas em locais fechados e de até 50 em áreas abertas voltaram a ser permitidas. E comícios políticos para as eleições atraíram centenas de eleitores.

Ir para o escritório da startup onde trabalha em Tel-Aviv foi a maior mudança na rotina da brasileira Elisa Bloch. Ela trabalhou de casa por um ano e foi no escritório menos de dez vezes no período. Ela também planeja encontrar mais amigos e tem o mesmo desejo de Adriana. "Só penso em visitar a família no Brasil, mas tenho medo de ir e ficar presa. Alguns países podem fechar as fronteiras com o Brasil", diz a arquiteta, de 27 anos.

Agora, Elisa retoma aos poucos a normalidade. Foi pela primeira vez a um restaurante - ainda comendo na calçada, de forma improvisada. "É uma sensação de normalidade", comenta ela, que planeja se inscrever em aulas de pilates e em um curso de hebraico presencial.

Professor de relações internacionais da USP especializado em Israel, Samuel Feldberg afirma que a rapidez da vacinação é fruto da logística, do sistema de saúde digitalizado e dos esforços do governo. "É uma preocupação que começou lá atrás com as providências necessárias para obter as vacinas", disse.

A dimensão de Israel - menor que o menor Estado brasileiro de Sergipe -, testes em massa e gratuitos e uma população de 9 milhões de habitantes também são fatores-chave. No entanto, todas as pessoas ouvidas pela reportagem destacaram o papel do premiê, Binyamin Netanyahu. Apesar das manobras para continuar no poder e das acusações de corrupção, ele mobilizou a população

Para Adriana, Netanyahu teve o papel de "desmistificar" a vacina ao ser primeiro a ser imunizado. "É claro que tem um componente político, mas ele levanta a bandeira, se voluntariou e é a favor da vacina", afirmou.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )